Os psicopatas assassinos, geralmente chamados de serial killers (matadores em série), fazem grande sucesso no cinema e estão arraigados na cultura contemporânea. Quem não assistiu "O Silêncio do Inocentes", filme de 1991, que brindou o Oscar à Anthony Hopkins por sua atuação como psicopata Hannibal Lecter?!

O psicopata (do grego psyche, alma e path sofrimento) etimologicamente significa "doente da alma". Padecendo de uma enfermidade psiquiátrica consideravelmente grave, eles são destituídos de qualquer sentimento de culpa ou remorso.

Não sentem nenhuma identificação ou sintonia pelo próximo, são egocêntricos, impulsivos, isentos da capacidade de autopercepção (é o conjunto simultâneo de todas as impressões internas e externas), não sabem responder de modo equilibrado as dificuldades como, por exemplo, as decepções consigo mesmo ou insatisfações perante situações que vivenciam; ou seja, possuem baixa tolerância a frustrações.

São manipuladores notáveis e incapazes de sentir amor por alguém. Mania de perseguição, desrespeito frequente às regras sociais também fazem parte do perfil doentio.

Em outros tempos já foram chamados de sociopatas, condutopatas, transtorno de personalidade severo (TPS). Seja como for, a doença da psicopatia constitui uma condição em que há a predominância da razão e a inexistência de emoção.

Além disso, são dissimulados, falsos, impostores, envolventes, mentirosos, ardilosos, espertos, matadores impiedosos, colocam em perigo suas vidas e as dos outros, abandonam suas famílias. Mitologicamente, podem ser considerados como a personificação do diabo (do grego enganador).

Surge assim a questão: Como se desenvolve a personalidade sombria de uma pessoa que não tem nenhum interesse pela dor do outro? Já é conhecido que esta mente enferma começa a se revelar entre o final da infância e a iniciação da adolescência, período que a personalidade do ser humano é estabelecida. Além disso, nada se sabe de concreto sobre a psicopatia.

Talvez possamos conjecturar que a carga genética vinculada ao ambiente social em que a criança se desenvolveu sejam a origem da doença.

Um ponto realmente assombroso no comportamento psicopata reside no fato de serem figuras cativantes, envolventes e encantadores. Ou seja, fazem uso do charme e da manipulação como um ardil a fim de alcançar seus objetivos patológicos.

Ao fazerem isso, usam as pessoas da forma surpreendentemente egocêntrica. E quando estas pessoas não são mais úteis, se tornam definitivamente descartáveis - da mesma maneira que nos livramos de algo que não serve mais.

Artigo escrito pelo Vidente Clayton  José Clayton Donizetti Vieira  |     08/01/2017 - 23:52:43 hs.  |   Artigos metafísicos, científicos e esotéricos  29º artigo

Próximo artigo  Próximo artigo:

O poder destrutivo da inveja

Lista completa de artigos  Acessar a Lista completa de Artigos Esotéricos