A tábua (ou tabuleiro) Ouija está em voga nos filmes de horror. A palavra Ouija é a junção do francês Oui (que significa sim) com alemão ja (que também quer dizer sim).

Esta ferramenta ocultista surgiu aproximadamente em 1800 como um jogo de salão, em uma época em que a doutrina espírita, a canalização, e a necromancia estavam no auge.

Em 1861, o codificador do espiritismo Hippolyte Léon Denizard Rivail (sob o pseudônimo de Allan Kardec, 1804/1869) já alertava que apenas seres espirituais inferiores e infames podem mover a matéria. Portanto, isso significa que seja o que for que esteja tentando se comunicar através da tábua Ouija, não vai desencadear nada de benéfico para você.

Basicamente, os participantes (ou jogadores) colocam os dedos sobre um indicador móvel que então se move para responder as perguntas que foram dirigidas às entidades espirituais ou mesmo para enviar mensagens até eles.

Todo o processo é ritualizado com o intuito de reduzir ao máximo os efeitos danosos sobre os participantes. Por exemplo, a comunicação deve ser corretamente encerrada, ou o espírito permanecerá com os jogadores. E convide para participar de uma sessão apenas pessoas sóbrias, sérias e idôneas.

Além disso, jamais utilize a tábua Ouija em lugares como cemitérios ou em locais onde ocorreram mortes brutais ou animalescas. Outro detalhe é que em nenhum momento utilize-a quando estiver doente ou depressivo, para evitar que se torne vulnerável a uma possessão espiritual ou demoníaca.

A tábua Ouija moderna foi criada pelo inventor e empresário William Fuld (1870/1927). Tornou-se mais conhecido como o pai da tábua Ouija, e posteriormente ele vendeu sua patente aos fabricantes Parker Brothers. Desde então foram vendidos milhões de réplicas sob o slogan: É só um jogo - não é?

Para os ocultistas, este instrumento abre uma porta de comunicação e manifestação das criaturas que existem no mundo espiritual. E praticamente todas as religiões desencorajam o seu uso.

Artigo escrito pelo Vidente Clayton  José Clayton Donizetti Vieira  |     15/01/2017 - 20:56:06 hs.  |   Artigos metafísicos, científicos e esotéricos  36º artigo

Próximo artigo  Próximo artigo:

O poder destrutivo da inveja

Lista completa de artigos  Acessar a Lista completa de Artigos Esotéricos